domingo, abril 17, 2016

A tristeza se esconde atrás da alegria dos palhaços

Sempre senti um pouco de tristeza, mas foi depois dos cinqüenta que ela veio para ficar. De repente, me dei conta que jamais seria aquela pessoa que dá gargalhadas sonoras e que realmente aprecia uma boa piada. Percebi que continuaria a não achar muita graça do que a maioria das pessoas acha. E penso em várias músicas que falam de tristeza.

Tristeza não tem fim, felicidade sim. Mas tristeza não é o posto de felicidade, mas de alegria. E aí, me vem Alegria é a melhor coisa que existe, é melhor ser alegre que ser triste...E também lembro de 

Bom dia, tristeza 
Que tarde, tristeza 
Você veio hoje me ver 
Já estava ficando 
Até meio triste 
De estar tanto tempo 
Longe de você

Se chegue, tristeza
Se sente comigo
Aqui, nesta mesa de bar
Beba do meu copo
Me dê o seu ombro
Que é para eu chorar
Chorar de tristeza
Tristeza de amar

....e ainda...

Oh tristeza, me desculpe
Estou de malas prontas
Hoje a poesia veio ao meu encontro
Já raiou o dia, vamos viajar
Vamos indo de carona
Na garupa leve do vento macio
Que vem caminhando
Desde muito longe, lá do fi do mar
Vamos visitar a estrela da manhã raiada
Que pensei perdida pela madrugada
Mas que vai escondida
Querendo brincar
Senta nesta nuvem clara
Minha poesia, anda, se prepara
Traz uma cantiga 
Vamos espalhando música no ar

Olha quantas aves brancas
Minha poesia, dançam nossa valsa
Pelo céu que um dia
Fez todo bordado de raios de sol
Oh poesia, me ajude
Vou colher avencas, lírios, rosas dálias
Pelos campos verdes
Que você batiza de jardins-do-céu
Mas pode ficar tranqüila, minha poesia
Pois nós voltaremos numa estrela-guia
Num clarão de lua quando serenar
Ou talvez até, quem sabe
Nós só voltaremos no cavalo baio
O alazão da noite 

Cujo o nome é raio, raio de luar

E lembro da tristeza de Florbela Espanca, da tristeza de Frida Kahlo e sempre e sempre, e de novo, de Vinícius de Moraes que soube cantar a tristeza como ninguém:

E daí? Uma mulher tem que ter
Qualquer coisa além de beleza
Qualquer coisa de triste
Qualquer coisa que chora
Qualquer coisa que sente saudade
Um molejo de amor machucado
Uma beleza que vem da tristeza
De se saber mulher

E lembrando dessas mulheres, desses poetas eu me consolo porque penso que a tristeza é um sentimento inerente ao ser humano e nem todos que parecem alegres não são tristes. A tristeza se esconde atrás da alegria dos palhaços. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Texto tocante, lindo, com citações de arrepiar. E, claro, com a eterna beleza que há na tristeza.


Clau.

Clau disse...

Há, ao menos, dois filmes nos quais a tristeza habita o palhaço. Um, da década de 50, "O Maior Espetáculo da Terra", sobre um circo, com o palhaço vivido por James Mason (se não me engano). O outro, "Luzes da Ribalta", de 56, do Chaplin, com ele si próprio vivendo o trágico palhaço "Calvero". E, de quebra, "O Circo", ainda do Chaplin, com toda a tristeza e desencanto do palhaço. Como dizia o Gonzaguinha, "... com tempo ruim, todo mundo diz bom dia..."

Clau.

Clau disse...

But last not least









Eu Não Existo Sem Você

Tom Jobim




exibições 329.611



Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você

Add a playlistCifraImprimirCorrigir














Composição: Antonio Carlos Jobim / Vinicius de Moraes · Esse não é o compositor? Nos avise.

Legendado por Leninha Lima e Lorena

(Se possível, ouça, com o Tom e a Miucha)




Clau.

  • A Igualdade é Branca
  • A Fraternidade é Vermelha
  • A Liberdade é Azul
  • Blade Runner