quinta-feira, dezembro 22, 2016

Tempos difíceis

Vivemos tempos feios, difíceis. Não bastasse o mundo estar em guerra, aqui pelo Rio Grande o caos se instalou. No dia de hoje seis fundações foram extintas: Zoobotânica (FZB), Cultural Piratini (TVE E FM Cultura), de Ciência e Tecnologia, de Economia e Estatística (FEE), Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH) e de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). 
O salário do funcionalismo estadual vem sendo pago com atraso e parcelado. O décimo terceiro desapareceu nesse último mês do ano. Hoje, em Pelotas, uma professora aposentada tentou atear fogo ao corpo quando viu que não havia dinheiro na conta. Dentro do Banrisul. 
Corrupção, desvio de verbas, hospitais fechando, moradores de rua sendo despejados da rua, pobreza aumentando, miséria, violência. Millôr repetiria a frase que mais representa o ser humano: O homem é um animal inviável. 
Pois, andando pelas ruas de Capão eu vejo um carro estacionar e uma mulher sair com comida para dar aos gatos de rua. Ela coloca água num pote de sorvete e comida para os ariscos gatos de rua. Não tenho como não lembrar da turma do Manda-Chuva, aqueles gatos espertos e falantes, sempre aprontando e fugindo do Guarda Belo. Lembrei do Batatinha, Bacana...e sorri para dentro de mim, para que a bondosa mulher não se equivocasse com meu sorriso. 
Chego na padaria pra pegar o pãozinho nosso de cada dia e percebo um menino de bicicleta esperando do lado de fora. Lá de dentro surge a atendente com duas sacolas com pães, cucas e biscoitos dormidos, certamente, mas digeríveis. O olhar do menino é de agradecimento antes que a palavra obrigada saia baixinho de seus lábios. Ele se vai e fico imaginando quantas pessoas aqueles pães irão alimentar. 
Gestos que me comovem e me fazem pensar que o ser humano não é inviável. Não todos. 

Um comentário:

Clau disse...

"Vivemos tempos sombrios" (Brecht)

  • A Igualdade é Branca
  • A Fraternidade é Vermelha
  • A Liberdade é Azul
  • Blade Runner